Aventuras e desventuras da família PB…

Realmente, isto contado é difícil de acreditar…

Só mesmo vivendo (e mesmo assim, às vezes ainda dá para duvidar)…

Uma pessoa vê-se em cada uma…

Já não chegavam os desabafos sobre os problemas conjugais, a desatenção nos negócios, a ausência do escritório… ainda tinha de vir o abuso de confiança (mais do que o que já veio)…

Esta é uma família deveras peculiar, com pessoas tão caricatas quanto ridículas…

Hoje calhou-me na rifa fazer o especial favor de ter de digitalizar as fotos dos “meninos” quando foram campeões nacionais num qualquer concurso de hipismo, criar um documento com os respectivos nomes, títulos, categorias e ano do prémio e ainda ter de ligar para a Sra. D. R… para saber o endereço de e-mail para onde deveria enviar…

Não parece difícil… e não é… de todo… o problema é que enquanto eu fazia isto estava a pedir-me que procurasse a melhor rota para o destino escolhido para o fim-de-semana prolongado, assim como procurar se havia nas redondezas algum lago ou rio onde pudesse ir à pesca de truta…

ok, duas tarefas perfeitamente compatíveis…

3ª tarefa em simultâneo  – e essa sim, tem a ver com TRABALHO – “encontre-me os catálogos com as amostras de tecido que devem estar por aí”… (mais precisamente, no armário do gabinete ao lado, que ele usa para “chamadas particulares”…

é certo que as mulheres são dadas ao “multitasking”, mas executar mais do que uma tarefa em locais geograficamente distintos, ao mesmo tempo, é impossível… acho eu…

Mal sabia eu que o melhor ainda estava para vir…

“Preciso que me dê esta injecção num instante”…

HEIN?! WTF?! COMO?! QUANDO?! ONDE?! PORQUÊ?!

Parece confuso, mas eu passo a explicar… eu não sou enfermeira nem nada que se lhe pareça… trabalho num escritório/loja/showroom e não num gabinete médico ou algo que lhe valha… supostamente, as minhas funções aqui são enquanto técnica de marketing (mais a fugir para a assistente Pessoal)…

As únicas injecções que dei na vida (e refiro-me àquelas que têm agulha e tudo) foram no meu pai e na minha tia pois eram apenas sub-cutâneas para ajudar ao controlo sanguíneo… esta era uma daquelas intramusculares que deve ser administrada no quadrante superior da nádega (tentando utilizar a terminologia correcta)…

Jamais o iria fazer!!!

1º – trata-se do meu chefe e não, não estou interessada – cruzes, credo, canhoto – eu ver-lhe estas partes;

2º – o homem corria sérios riscos de ficar a coxear para o resto da vida, se não ficasse paralisado… um dos dois poderia ficar: ou eu ou ele…;

3º – mas que raio de abuso é este?! (foi a única coisa que consegui dizer, como quem ri de indignação, se isso for possível)…

Isto é a autêntica República das Bananas, só pode…

 Mas a saga vai continuar… de certezinha absoluta…

o dia ainda é uma criança…
Aventuras e desventuras da família PB…

Para bater à porta...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s